Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘textos’

Video-Game-Collages-video-games

Olha, muitas pessoas pensam muitas bobagens e ficam lamentando a vida dura, então, porque não jogar um bom videogame? Aliviaria muitos males.

Existem vários títulos e gêneros, de estratégia, de ação, de raciocínio, etc… e cada um desses jogos, mexem com nossa inteligência, com nossos reflexos e com nosso humor.

Estamos na Era dos games, a cada ano, são milhares de jogos lançados que nos deixam cada vez mais empolgados. Mas como será quando estivermos mais velhos? Será que jogaremos tanto quanto jogamos hoje?

Em nome dos nerds, digo que sim. E em nome da saúde, também. Uma pesquisa feita na Universidade do Estado da Carolina do Norte, chegou à conclusão de que idosos que jogam são mais felizes com relação aos que jogam pouco ou não jogam – notícia boa, não? Foram três os grupos de idosos analisados: um com alta, outro com baixa, e outro com nenhuma frequência de jogabilidade. Os resultados se mostraram proporcionais: o primeiro grupo teve um alto grau de bem-estar, sendo que o último se mostrou o mais depressivo dos três.

O estudo foi feito com poucas pessoas, mas não é preciso uma escala maior para se saber que os games melhoram – e muito – várias coisas de nossa vida, como a criatividade, espontaneidade, o afeto, a colaboração e aumenta a eficiência do cérebro. Mas também, não podemos ser dominados por eles, é importante também termos uma vida social e não ficarmos enclausurados no quarto o dia inteiro.

Há quem diga que os consoles fazem mal, mas essa é a visão conservadora que olha somente para o mal e não para os benefícios que eles podem trazer: auxiliam na imaginação, ajudam em tratamentos pós-derrame, podem também melhorar a sua capacidade de escolha e o seu nível de atenção, além de reduzir o stress.

Games-of-2013-Wallpaper-by-sakis25

Muitos pensam que os cachorros são os melhores amigos dos homens, mas talvez eles possam estar enganados, pois seus melhores amigos, principalmente quando estiver envelhecendo, talvez sejam os videogames!

Dois estudo, recentemente publicado na “Games for Health Journal”, mostram que os jogos podem ajudar as pessoas com mais idade a terem uma vida bem melhor, preenchendo seu tempo livre e ajudando o cérebro a se manter em forma: “Os idosos muitas vezes abandonam suas atividades ao longo da vida em troca de uma segurança e de um padrão imposto de velhice. Mas os videogames oferecerem uma fuga da rotina. Todos estes benefícios podem melhorar o bem-estar de adultos idosos”.

Além disso, alguns videogames de hoje oferecem a oportunidade de nos exercitarmos apenas jogando, o que é algo extremamente necessário para os mais idosos, fazendo com que tenham uma vida melhor e mesmo lhe dando mais ânimo para se cuidarem.

Então vá treinado e quando ficar mais velho compre um belo videogame para ser seu melhor companheiro na velhice! Curta essa post e espalhe-a para seus amigos!

Read Full Post »

Será que eu estou vivendo num mundo e todo o resto está vivendo num mundo paralelo onde tudo de ruim acontece? É pura fantasia, mas parece que estamos cercados em uma ilha e tudo em volta está desabando, as pessoas perderam a noção total dos atos que estão fazendo hoje em dia.

Como pode uma pessoa ser tão envolvida por uma seita diabólica, onde maltratam e torturam uma pobre criança, que por ser tão pequena, apenas 2 anos, com certeza, não tinha como se defender e nem entregar o torturador que vivia com sua mãe.

Absurdo, tem muitas pessoas que estão perdendo totalmente a noção do que é certo e errado, uns rezam pela boa propina recebida, outros enfiam mais de 40 agulhas numa criança, outros matam só pelo prazer de matar, uma mulher casada, traía o marido com 8 amantes, Pedofilia virou moda, sinceramente não consigo ver onde uma criança pode causar atração sexual, loucura total.

Acho que está difícil eu sair desta minha “ilha” aqui, as pessoas estão cada vez mais loucas, estão fora da realidade.

A educação está fora de controle, poucos ligam para isso, alguns jovens estão cada vez mais alienados, só pensam em comprar o último celular, ou o que o namorado anda aprontando no orkut, além de alguns  que estão na faculdade, que só pensam em festinhas, “matar” aula e muita bebedeira. Tomara que o garoto não caia nas mãos de um daqueles novos médicos que não conseguiram responder qual são os sintomas da gripe A.

E o que vai acontecer com o garoto? Eis a questão que vai ficar no ar…

O menino foi transferido para Salvador

Fonte: Terra

O menino de 2 anos que teve cerca de 50 agulhas espetadas no corpo na cidade Barreirinhas (BA) foi transferido para o Instituto do Coração da Bahia (Incoba), em Salvador, na manhã desta quinta-feira. Segundo a assessoria do Hospital do Oeste, em Barreirinhas, onde a criança está internada, a transferência foi decidida na noite de quarta.

O garoto tem duas agulhas muito próximas ao coração e a equipe médica julgou que seria melhor encaminhá-lo a uma unidade de saúde especialista em cirurgias cardíacas para diminuir o risco da operação de retirada dos corpos estranhos.

De acordo com a assessoria, o estado do menino é grave, porém estável. Hoje, ele respirava sem ajuda de aparelhos, estava consciente e conversava com a mãe. Ele tem se alimentado por meio de sondas e sente incômodos e dores causados pelas agulhas. Suas funções vitais estão normais.

O padrasto do menino confessou na noite desta quarta-feira que colocou os objetos na criança. Segundo informações do Jornal Nacional, ele disse também que teve ajuda de outras duas mulheres para colocar as agulhas na criança – uma delas faria parte de uma seita religiosa. Segundo repercutem as agências de notícias, Lopes teria praticado um ritual de magia negra contra a criança para se vingar da mãe.

Video onde mostra as radiografias tiradas do garoto:

A confissão do padrasto

O padrasto do menino de 2 anos que tem mais de 50 agulhas alojadas no corpo, Roberto Carlos Magalhães Lopes, confessou na noite desta quarta-feira que era ele quem vinha colocando os objetos no menino. Segundo informações do Jornal Nacional, ele disse também que teve ajuda de outras duas mulheres para colocar as agulhas na criança – uma delas faria parte de uma seita religiosa.

O auxiliar de serviços gerais foi encontrado na tarde de hoje pela polícia de Ibotirama, no interior da Bahia. Após a descoberta do caso, ele havia se tornado o principal suspeito de colocar os objetos metálicos no corpo do menino, que está em estado grave, embora esteja consciente e respire sem a ajuda de aparelhos.

Read Full Post »

Hoje está em todos os jornais e programas esportivos o que o atual presidente do Palmeiras disse numa festa de torcida organizada. A frase da discórdia é: “Vamos matar os Bambis!”.

Muito bem, você poderia aceitar isso de um presidente folclórico ou safado mesmo com o Eurico Miranda, ex-presidente do Vasco da Gama, mas se tratando de um intelectual do porte de Luiz Gonzaga Beluzzo, que até é professor universitário, não poderia dizer o que disse. É claro que ele não disse para matarem os sãopaulinos literalmente, mas como ele estava numa torcida organizada das mais encrenqueiras, para não dizer outra coisa, um cara ponderado não poderia falar em matar, onde tem pessoas ali no meio da galera, que só pensam nisso: “Quebrar a cara de alguém”.

Mas como o título deste post diz, educação não vem só de berço de ouro, ninguém aprende a ser educado numa faculdade, nós ensinamos uma criança a ser educada desde de bem pequena, e se engana quem acha que os mais ricos que tem a melhor educação, na minha família por exemplo, não se admite até hoje falar palavrões dentro de casa, isso é a boa educação. Muita gente que nunca pisou numa faculdade, com certeza é muito mais educada que muitos “doutores” por aí.

Ser educado nunca é demais, ter gentileza, sem precisar gritar para ser ouvido, sem querer passar por cima de alguém no trânsito, porque levou uma fechada ou então maltratar alguém porque não fez o que queria.

Não adianta gritar e ficar totalmente alucinado de raiva, aquela sensação de ódio só prejudica a nós mesmo, escrevo isso por experiência própria.

Enfim, as pessoas tem que aprenderem a viver em sociedade desde pequeno, porque quando tem seus 20 anos de idade, já vão estar frequentando vários lugares, como a faculdade por exemplo, onde vão conviver com várias pessoas diferentes, queira ou não queira, e se não souber lidar com certas ocasiões, vão se dar muito mal, correm o risco de ficar isolados, de serem tratados como os malas da turma, etc e tal.

Nós somos uma caixa de ressonância, se você resolve um assunto com violência ou gritaria, vai receber de volta com troco, mas se você, numa situação, consegue manter a calma e achar um caminho sem se alterar, ninguém vai gritar com você e muito menos agredí-lo.

Read Full Post »

magoas2A mágoa realmente é uma coisa que empaca as nossas vidas, em qualquer área, sendo sentimental ou profissional e alimentá-la realmente pode causar um desconforto imenso e o mais grave, causar doenças.

Eu particularmente não quero mais alimentar mágoas de certa pessoa, mas é difícil não pensar nisso, mas se pararmos para pensar, nos magoamos demais com as pessoas que mais gostamos, será que não idealizamos e esperamos  demais daquela pessoa, achando que a ela é a oitava maravilha do mundo, e na verdade ela tem os mesmos defeitos de que todos nós temos?

Idealizar e venerar muito uma pessoa sem conhecê-la de verdade, pode causar muitos problemas emocionais e consequentemente, algumas doenças.

Segundo a psicóloga americana Louise l. Hay, todas as doenças que temos são criadas por nós.

Afirma ela, que somos 100% responsáveis por tudo de ruim que acontece no nosso organismo.

Todas as doenças tem origem num estado de não-perdão, diz Louise L. Hay. Sempre que estamos doentes, necessitamos descobrir a quem precisamos perdoar.

Quando estamos empacados num certo ponto, significa que precisamos perdoar mais . Pesar, tristeza, raiva e vingança são sentimentos que vieram de um espaço onde não houve perdão. Perdoar dissolve o ressentimento. A seguir, você vai conhecer uma relação de algumas doenças e suas prováveis causas, elaboradas pela psicóloga Louise.

Reflita, vale a pena tentar evitá-las:

DOENÇAS / CAUSAS

AMIDALITE: Emoções reprimidas, criatividade sufocada.

ANOREXIA: Ódio ao externo de si mesmo.

APENDICITE: Medo da vida. Bloqueio do fluxo do que é bom.

ARTERIOSCLEROSE: Resistência. Recusa em ver o bem.

ARTRITE: Crítica conservada por longo tempo.

ASMA: Sentimento contido, choro reprimido.

BRONQUITE: Ambiente familiar inflamado. Gritos, discussões.

CÂNCER: Mágoa profunda, tristezas mantidas por muito tempo.

COLESTEROL: Medo de aceitar a alegria.

DERRAME: Resistência. Rejeição à vida.

DIABETES: Tristeza profunda.

DIARRÉIA: Medo, rejeição, fuga.

DOR DE CABEÇA: Autocrítica, falta de autovalorização.

DOR NOS JOELHOS: medo de recomeçar, medo de seguir em frente

ENXAQUECA: Raiva reprimida. Pessoa perfeccionista.

FIBROMAS: Alimentar mágoas causadas pelo parceiro (a).

FRIGIDEZ: Medo. Negação do prazer.

GASTRITE: Incerteza profunda. Sensação de condenação.

HEMORRÓIDAS: Medo de prazos determinados. Raiva do passado.

HEPATITE: Raiva, ódio. Resistência a mudanças.

INSÔNIA: Medo, culpa.

LABIRINTITE: Medo de não estar no controle.

MENINGITE: Tumulto interior. Falta de apoio.

NÓDULOS: Ressentimento, frustração. Ego ferido.

PELE (ACNE): Individualidade ameaçada. Não aceitar a si mesmo.

PNEUMONIA: Desespero. Cansaço da vida.

PRESSÃO ALTA: Problema emocional duradouro não resolvido.

PRESSÃO BAIXA: Falta de amor quando criança. Derrotismo.

PRISÃO DE VENTRE: Preso ao passado. Medo de não ter dinheiro suficiente.

PULMÕES: Medo de absorver a vida.

QUISTOS: Alimentar mágoa. Falsa evolução.

RESFRIADOS: Confusão mental, desordem, mágoas.

REUMATISMO: Sentir-se vitima. Falta de amor. Amargura.

RINITE ALÉRGICA: Congestão emocional. Culpa, crença em perseguição.

RINS : medo da crítica, do fracasso, desapontamento.

SINUSITE: Irritação com pessoa próxima.

TIRÓIDE: Humilhação.

TUMORES: Alimentar mágoas. Acumular remorsos.

ÚLCERAS: Medo. Crença de não ser bom o bastante.

VARIZES: Desencorajamento. Sentir-se sobrecarregado.

Curioso não?

Por isso vamos tomar cuidado com os nosso sentimentos… principalmente daqueles que escondemos de nós.

‘Quem esconde os sentimentos, retarda o crescimento da Alma’.

Remédios indicados: Auto Estima, Perdão, Amor.

Read Full Post »

O-Orkut-tambem-e-perigoso

Vejam o que o Professor de Informática da USP Marco André Vizzortti fala sobre o Orkut.

Deem uma pausa e reflitam sobre a verdade do que está escrito abaixo.

O ORKUT apareceu como uma forma de contatar amigos, saber notícias de quem está distante e mandar recados.

Hoje está sendo utilizado com o propósito de, creio ser o seu maior trunfo, obter informações sobre uma classe privilegiada da população brasileira.

Por que será que só no Brasil teve a repercussão que teve?

Outras culturas hesitam em participar sua vida e dados de intimidade, de forma tão irresponsável e leviana.

Por acaso você já recebeu um telefonema que informava que seus filhos estavam sendo sequestrados?

Sua mãe idosa já foi seguida por uma quadrilha de malandros ?

Já te abordaram num barzinho, dizendo que te conheciam faz tempo?

Já foi a festas armadas para reencontrar os amigos de 30 anos atrás e não viu ninguém?

Pois é. Tá tudo lá.

No ORKUT.

Com cinco minutos de navegação

eu sei quantos filhos você tem, ou se não tem,

se tem namorado/a,

sei que estuda no colégio tal, ou que trabalha em tal lugar,

sei que frequenta tais cinemas, tais bares, tais festas ….

sei nome de familiares, sei nome de amigos;

sei sei sei !

E o melhor de tudo, com uma foto na mão!

Identifico seu rosto em meio a multidões, na porta do seu trabalho, no meio da rua.

Afinal, já sei onde você está.

É só ler os seus recadinhos.

criancas-e-a-internet1

Faço um pedido:

Quem quiser se expor assim, faça-o de forma consciente e depois não lamente, nem se desespere, caso seja vítima de uma armação.

Mas poupe seus filhos, poupe sua vida íntima.

O bandido te ligou pra te extorquir dinheiro também porque você deixou..

A foto dos meninos estava lá. Teu local de trabalho tava lá.

A foto do hotel 5 estrelas na praia tava lá.

A foto da moto que está na garagem estava lá.

Realmente somos um povo muito inocente e deslumbrado.

Por enquanto, temos ouvido falar de ameaças a crianças e idosos.

Até que um dia a ameaça será fato real. Tarde demais.

Se você me entendeu, ótimo!

Reveja sua participação no ORKUT, ou ao menos suprima as fotos e imagens de seus filhos menores e parentes que não merecem passar por situações de risco que você os coloca.

Oriente seus filhos a esse respeito, pois colocam dados deles e da família sem pensar em consequências, fazem isso pelo desejo de participar, mas não sabem ou não pensam no perigo de se dar dados pessoais e da família para que qualquer pessoa veja.

Se acha que não tenho razão, deve se achar invulnerável.

Informo que pessoas muito próximas a mim e queridas já passaram por dramas gratuitos, sem perceber que tinham sido vítimas da própria imprudência.

A falta de malícia para a vida nos induz a correr riscos desnecessários…

Não só de Orkut vive a maioria dos internautas.

Temos uma infinidade de portas abertas e que por um descuido colocamos uma informação que pode nos prejudicar.

Disponibilizar informações a nosso respeito pode se tornar perigoso ou desagradável.

Portanto, cuidado ao colocar certas informações na Internet.

Não conhecemos a pessoa ou as pessoas que estão do outro lado da rede.

O papo pode ser muito bom, legal.

PS:

Passe a todos que você conhece e que utiliza o Orkut, 1Grau, Gazzag, NetQI, Blogs, Flogs, etc….. para que todos tenhamos consciência sobre o assunto e possamos colaborar com a diminuição do crime.

Read Full Post »

highlander2

Muito doido isso, já pensou ser imortal, segundo o cientista aí de baixo, falta muito pouco pra isso, mas tem muitas pessoas que nós não iríamos gostar de serem imortais, a sogra chata, o juiz de futebol, os senadores… se for escrever mais, vai encher o blog, mas chega de bobagem e vamos a notícia:

Vida eterna, sexo virtual ou mergulhar durante quatro horas sem oxigénio. O que agora não passa de ficção poderá ser o pão-nosso de cada dia daqui a 20 anos. Quem o diz é Ray Kurzweil.

Chama-se Ray Kurzweil , é um conceituado cientista e inventor, e defende que dentro de 20 anos a nanotecnologia associada ao conhecimento aprofundado sobre o funcionamento do corpo poderá tornar o ser humano imortal.

Em artigo publicado hoje no jornal britânico “The Sun”, o cientista norte-americano de 61 anos, que no passado foi capaz de prever o surgimento de novas tecnologias, explica que o ritmo acelerado com que avança o nosso conhecimento sobre o funcionamento dos genes e das ciências dos computadores, potenciam o surgimento de nanotecnologias capazes de substituir órgãos vitais.

Ray Kurzweil lembra, por exemplo, que actualmente já estão disponíveis pâncreas artificiais e implantes neuronais.

Segundo a “Lei do Retorno Acelerado” (Law of Accelerating Returns , em inglês), assim designa Kurzweil a sua teoria, “daqui a 20 anos, aproximadamente, será possível reprogramar os nossos corpos parando e revertendo o envelhecimento. Então, a nanotecnologia permitir-nos-á ser eternos”.

“Nano bastões substituirão as células sanguíneas e farão o seu trabalho de uma forma milhares de vezes mais eficiente”, escreve o cientista no “The Sun”.

“O sexo virtual será banal”

Na opinião de Kurzweil, e segundo ele de muitos outros cientistas, “dentro de 25 anos será possível fazer um sprint olímpico durante 15 minutos sem ter de respirar ou mergulhar durante quatro horas sem oxigénio”.

“As vítimas de ataque cardíaco – que ainda não disponham de um vulgar coração biónico – poderão avançar calmamente para um transplante enquanto a suas nano células sanguíneas mantêm-nas vivas”, escreve Kurzweil, prevendo ainda que “a nanotecnologia ampliará as nossas capacidades intelectuais para níveis nunca vistos, passando a ser possível escrever um livro em alguns minutos”.

Palestra do cientista Ray Kurzweil em inglês:

“Se quisermos passar para o modo de realidade virtual, os nano bastões poderão desligar os sinais cerebrais e levar-nos para onde quisermos. O sexo virtual será banal. E na nossa vida quotidiana, hologramas poderão ser projectados pelo nosso cérebro para nos explicar algo que não entendemos”, vaticina ainda Ray Kurzweil.

“Estaremos a caminhar para um Mundo onde os homens tornar-se-ão cyborgs, com membros e órgãos artificiais”, conclui o cientista.

Read Full Post »

Nunca um país com as dimensões e os políticos que possue o Brasil, vai ser totalmente livre de seus problemas, seja por motivos internos ou externos, seguindo o pensamento que ainda existe escravidão, tortura, influência estrangeira em algumas partes do Brasil, para nós sermos realmente independentes, tem que melhorar ainda muito as condições de vida de nosso povo, seja na educação, saúde, alimentação e salário compatível com a nossa realidade.

Mas hoje é dia de festa, abaixo a história da Independência da República Federativa do Brasil:

Denomina-se Independência do Brasil ao processo que culminou com a emancipação política desse país do reino de Portugal, no início do século XIX. Oficialmente, a data adotada é 7 de setembro de 1822, quando ocorreu o episódio do chamado “Grito do Ipiranga”. Segundo a história oficial, às margens do riacho Ipiranga (atual cidade de São Paulo), o Príncipe Regente D. Pedro, bradou perante a sua comitiva: “Independência ou Morte!”. Alguns aspectos da versão oficial, no entanto são contestados por alguns historiadores.

A moderna historiografia em História do Brasil, entretanto, remete o início do processo de independência à chegada da Corte Portuguesa ao Brasil, no contexto da Guerra Peninsular, a partir de 1808.

A vinda da família real para o Brasil

 A partir de 15 de Julho de 1799, o Príncipe do Brasil, D. João, tornou-se Príncipe Regente de Portugal. Os acontecimentos na Europa, onde Napoleão Bonaparte se afirmava, suceder-se-ão com velocidade crescente.

 Com a invasão francesa de Portugal em progresso, a 29 de Novembro iniciou-se a viagem da Família Real e da Corte Portuguesa para o Brasil. Dezoito navios de guerra portugueses e treze ingleses escoltaram mais de vinte e cinco navios mercantes de Lisboa até à costa do Brasil. A bordo seguiam mais de quinze mil portugueses. O Reino ficava a ser governado por uma Junta de Regência que Junot logo dissolveu.

Com a presença da Família Real Portuguesa no Brasil a partir de 1808, registrou-se o que alguns historiadores brasileiros denominam de “inversão metropolitana”, ou seja, o aparelho de Estado Português passou a operar a partir do Brasil, que desse modo deixou de ser uma “colônia” e assumiu efetivamente as funções de metrópole.

A revolução liberal do Porto

O passo seguinte, que conduziu à independência do Brasil, ocorreu com a eclosão da Revolução liberal do Porto (24 de agosto de 1820), que impôs o regresso de D. João VI a seu país, visando forçar o retorno do chamado Pacto Colonial. A notícia do movimento chegou ao Rio de Janeiro em 12 de outubro, causando intensa comoção.

Reflexos no Pará


O movimento liberal do Porto já havia sido acolhido com entusiasmo na Ilha da Madeira e no arquipélago dos Açores quando a notícia chegou, a 1 de dezembro, a Belém do Pará. Como a província estava entregue a uma Junta interina, essa circunstância facilitou um pronunciamento de apoio entusiástico à causa constitucional. A bordo da mesma embarcação que trouxe a notícia, a galera Nova Amazonas, veio o estudante Filipe Patroni, que desafrontado e ardente, “logo alcançou o concurso dos chefes militares, coronéis João Pereira Vilaça e Francisco José Rodrigues Barata”. Este último, no dia 1 de janeiro de 1821, em nome do povo e da tropa proclamou a Constituição que iria ser elaborada pelas Cortes portuguesas. Desse modo, foi eleita por aclamação uma Junta Constitucional provisória de nove membros, dando-se comunicação ao Rio de Janeiro. Filipe Patroni e Domingos Simões Cunha foram eleitos procuradores da província e encarregados de representar, perante as Cortes e a Junta Suprema, os interesses da Província do Pará.

Reflexos na Bahia


Incitada por Cipriano José Barata de Almeida e José Lino Coutinho, um levante registrou-se na Bahia a 21 de fevereiro de 1821. O Governador da Província, o conde da Palma, ordenou ao marechal Felisberto Caldeira Brant Pontes, inspetor das tropas, que reunisse as tropas fiéis. Desse modo, enfrentou os rebeldes com apenas cento e sessenta homens, pois a maior parte da tropa o abandonou. Não houve meio de os demover de constituir na Bahia uma Junta Constitucional Provisória, a exemplo de Belém, pela qual se manifestasse completa obediência às Cortes de Lisboa, jurando-se desde logo a Constituição. Palma cedeu, propondo ele mesmo os nomes das pessoas que formaram a Junta. E a Junta foi mais longe, dirigindo-se a Lisboa como se tal governo fosse já o único legítimo da monarquia e pedindo tropas portuguesas. Foram-lhe enviados 1.184 homens, a chamada Legião Constitucional Lusitana. A Junta nomeou ainda o marechal Luís Paulino de Oliveira Pinto de França para o cargo de Governador das Armas e o coronel Inácio Luís Madeira de Melo para o de inspetor das tropas, uma vez que Caldeira Brant acompanhara o conde da Palma ao Rio de Janeiro.

Reflexos em Pernambuco


O governador Luís do Rego Barreto tinha difícil situação desde a Revolução de 1817 pois a terra ainda gemia com o “depravado e estúrdio despotismo”, como refere Rocha Pombo em sua História do Brasil. Animado com as mensagens de Lisboa e a convite da Junta da Bahia, mas temeroso de desaforos, conservou toda a plenitude da autoridade e dirigiu um manifesto ao povo, expondo as bases da Constituição que iria ser promulgada e convocando eleitores de todas as paróquias. Os pernambucanos receberam suspeitosos as promessas e votaram com independência, elegendo as pessoas que lhes pareciam mais dignas – “quase todas pertenciam mais ou menos ostensivamente aos vencidos de 1817”.

A 29 de agosto de 1821 nomeou-se por aclamação uma Junta Provisional Temporária em Goiana, para contrabalançar outra, do partido português, em Recife. Mesmo pedindo reforços à Paraíba, Rego Barreto foi cercado, assinando a capitulação a 5 de outubro, junto à povoação do Beberibe.

Reflexos na Paraíba


A vitória dos pernambucanos ecoou na vizinha Paraíba, onde a 25 de outubro foi eleita uma Junta Governativa para administrar a província em nome da Constituição portuguesa.

Reflexos no Maranhão


A província do Maranhão era governada desde 1819 pelo marechal Bernardo da Silveira Pinto da Fonseca. Este, sem poder deixar de admitir a autoridade de um Conselho Consultivo, conseguiu transformar em farsa a eleição da Junta no dia 13 de abril, sendo ele próprio proclamado Governador provisório. Mandou, em seguida, deportar diversos patriotas, procedendo à eleição de dois deputados às Cortes de Lisboa. Posteriormente, no dia 15 de fevereiro de 1822 foi eleita uma Junta Provisória e o marechal embarcou de volta para Portugal.

A partida do rei

Pressionado pelo triunfo da revolução constitucionalista, o soberano retornou com a família real a Portugal, deixando como Príncipe-regente no Brasil o seu primogênito, D. Pedro de Alcântara.

As divergências

 
Não se pode compreender o processo de independência sem pensar no projeto recolonizador das Cortes portuguesas, a verdadeira origem da definição dos diversos grupos no Brasil. Embora o rompimento político com Portugal fosse o desejo da maioria dos brasileiros, havia muitas divergências. No movimento emancipacionista havia grupos sociais distintos: a aristocracia rural do sudeste partido brasileiro, as camadas populares urbanas liberais radicais e por fim, a aristocracia rural do norte e nordeste, que defendiam o federalismo e até o separatismo.

A aristocracia rural do sudeste, a mais poderosa, era conservadora, lutando pela independência, defendendo a unidade territorial, a escravidão e seus privilégios de classe. Os liberais radicais queriam a independência e a democratização da sociedade, mas seus chefes, Joaquim Gonçalves Ledo e José Clemente Pereira, permaneceram atrelados à aristocracia rural, sem revelar vocação revolucionária. A aristocracia rural do norte e nordeste enfrentava a forte resistência dos comerciantes e militares portugueses, Josué fortes no Pará, Maranhão e Bahia. Além disso, desconfiavam da política centralizadora de José Bonifácio.

A situação do Brasil permaneceu indefinida em 1821.em 9 de dezembro, chegaram ao Rio de Janeiro os decretos das Cortes que ordenavam a abolição da regência e o imediato retorno de D. Pedro a Portugal; a obediência das províncias a Lisboa e não mais ao Rio de Janeiro;a extinção dos tribunais do Rio.O Príncipe Regente D. Pedro,começou a fazer preparativos para seu regresso. Mas estava gerada enorme inquietação. O partido brasileiro ficou alarmado com a recolonização e com a possibilidade de uma explosão revolucionária. A nova situação favoreceu a polarização: de um lado o partido português e do outro, o partido brasileiro com os liberais radicais, que passaram a agir pela independência.

Na disputa contra os conservadores, os radicais cometeram o erro de reduzir a questão à luta pela influência sobre o Príncipe Regente. Era inevitável que este preferisse os conservadores. Ademais, os conservadores encontraram em José Bonifácio um líder bem preparado para dar à independência a forma que convinha às camadas dominantes.

Dona Maria Leopoldina, O “Fico” e o “Cumpra-se”

Sondado, o príncipe se mostrou receptivo. Foram enviados emissários a Minas e São Paulo para obter a adesão à causa emancipacionista, com resultados positivos. No Rio de Janeiro foi elaborada uma representação (com coleta de assinaturas) em que se pedia a permanência de D.Pedro de Alcantara. O documento foi entregue a D.Pedro de Alcantara a 9 de janeiro de 1822 por José Bonifácio de Andrade e Silva, presidente do Senado da Câmara do Rio de Janeiro. Em resposta, o Príncipe Regente decidiu desobedecer às ordens das Cortes e permanecer no Brasil: era o Fico.
José Bonifácio de Andrada e Silva, o Patriarca da Independência.A arquiduquesa da Áustria e imperatriz do Brasil, Dona Maria Leopoldina Josefa Carolina, exerce a regência, na ausência de D. Pedro I, que se encontrava em São Paulo. A imperatriz envia-lhe uma carta, juntamente com outra de José Bonifácio, além de comentários de Portugal criticando a atuação do marido e de dom João VI. Ela exige que D. Pedro proclame a Independência do Brasil e, na carta, adverte: O pomo está maduro, colhe-o já, senão apodrece.

A decisão do príncipe de desafiar as Cortes decorreu de um amplo movimento, no qual se destacou José Bonifácio de Andrada e Silva. Membro do governo provisório de São Paulo, escrevera em 24 de dezembro de 1821 uma carta a D. Pedro, na qual criticava a decisão das Cortes de Lisboa e chamava a atenção para o papel reservado ao príncipe na crise. D. Pedro divulgou a carta, publicada na Gazeta do Rio de Janeiro de 8 de janeiro de 1822 com grande repercussão. Dez dias depois, havia chegado ao Rio uma comitiva paulista, integrada por José Bonifácio, para entregar ao príncipe a representação paulista. No mesmo dia, D.Pedro I nomeou José Bonifácio ministro do Reino e dos Estrangeiros, cargo de forte significado simbólico: pela primeira vez o cargo era ocupado por um brasileiro. D. Pedro ganhou forte apoio popular com a decisão do Fico.

A declaração de Independência

Ao voltar de Santos, parando às margens do riacho Ipiranga, D. Pedro de Alcântara recebeu uma carta com ordens de seu pai, para que ele voltasse para Portugal, se submetendo ao rei e às Cortes. Vieram juntas duas cartas, uma de José Bonifácio, que aconselhava D. Pedro a romper com Portugal, e a outra da esposa, Maria Leopoldina, apoiando a decisão do ministro. D. Pedro I, impelido pelas circunstâncias, pronunciou as famosas palavras Independência ou Morte!, rompendo os laços de união política com Portugal, em 7 de Setembro de 1822. Ao chegar na capital, Rio de Janeiro, foi aclamado Imperador, com o título de D. Pedro I.

Culminava o longo processo de emancipação, iniciado em 1808 com a vinda da família real. A 12 de outubro de 1822, D. Pedro foi aclamado imperador e coroado em 1 ° de dezembro.

A guerra da Independência

Consolidado o processo na região Sudeste do Brasil, a independência das demais regiões da América Portuguesa foi conquistada com relativa rapidez. Contribuiu para isso o apoio diplomático e financeiro da Grã-Bretanha. Sem um Exército e sem uma Marinha de Guerra, tornou-se necessário recrutar mercenários e oficiais estrangeiros para comandá-los, do mesmo modo que adquirir meios.

Desse modo, foi sufocada a resistência portuguesa na Província da Bahia, na do Maranhão, na do Piauí e na do Pará.

O processo militar estava concluído já em 1823, restando encaminhar a negociação diplomática do reconhecimento da independência com as monarquias européias.
Conseqüências

À semelhança do processo de independência de outros países latino-americanos, o de independência do Brasil preservou o “status” das elites agro-exportadoras, que conservaram e ampliaram os seus privilégios políticos, econômicos e sociais.

Ao contrário do ideário do Iluminismo, e do que desejava, por exemplo, José Bonifácio de Andrada e Silva, a escravidão foi mantida, assim como os latifúndios, a produção de gêneros primários voltada para a exportação e o modelo de governo monárquico.

Para ser reconhecido oficialmente, o Brasil negociou com a Inglaterra e aceitou pagar indenizações de 2 milhões de libras esterlinas a Portugal. Inglaterra saiu lucrando, tendo início o endividamento externo do Brasil. Quando D. João VI retornou a Lisboa, por ordem das Cortes, levou todo o dinheiro que podia – calcula-se que 50 milhões de cruzados, apesar de ter deixado no Brasil sua prataria e a enorme livraria, com obras raras que compõem, hoje, o acervo básico da Biblioteca Nacional. Em conseqüência da leva deste dinheiro para Portugal, o Banco do Brasil, fundado por D. João VI em 1808, faliu em 1829.

Hino da Independência do Brasil:

Letra do Hino:

letra de Evaristo Ferreira da Veiga
música de D. Pedro I

Já podeis da Pátria filhos,
Ver contente a mãe gentil;
Já raiou a liberdade
No horizonte do Brasil
Já raiou a liberdade,
Já raiou a liberdade
No horizonte do Brasil.

Brava gente brasileira!
Longe vá temor servil
Ou ficar a Pátria livre
Ou morrer pelo Brasil;
Ou ficar a Pátria livre,
Ou morrer pelo Brasil.

Os grilhões que nos forjava
Da perfídia astuto ardil,
Houve mão mais poderosa,
Zombou deles o Brasil;
Houve mão mais poderosa
Houve mão mais poderosa
Zombou deles o Brasil.

Brava gente brasileira!
Longe vá temor servil
Ou ficar a Pátria livre
Ou morrer pelo Brasil;
Ou ficar a Pátria livre,
Ou morrer pelo Brasil.

Não temais ímpias falanges
Que apresentam face hostil;
Vossos peitos, vossos braços
São muralhas do Brasil;
Vossos peitos, vossos braços
Vossos peitos, vossos braços
São muralhas do Brasil.

Brava gente brasileira!
Longe vá temor servil
Ou ficar a Pátria livre
Ou morrer pelo Brasil;
Ou ficar a Pátria livre,
Ou morrer pelo Brasil.

Parabéns, ó brasileiros!
Já, com garbo varonil,
Do universo entre as nações
Resplandece a do Brasil;
Do universo entre as nações
Do universo entre as nações
Resplandece a do Brasil.

Brava gente brasileira!
Longe vá temor servil
Ou ficar a Pátria livre
Ou morrer pelo Brasil;
Ou ficar a Pátria livre,
Ou morrer pelo Brasil.

Read Full Post »

Older Posts »

Juarez Barcellos

Educação musical

Cá Minhando

Só algumas histórias

SporeModding

Modificações, tutoriais, dicas e notícias sobre o universo Spore!

CORINTHIANS - Uma Nação

Histórias e notícias de um grande clube

BLOG DO RONALDO

Um espaço para reflexão sobre a vida e a sociedade

blog into mystery

Celebrating the Best and Worst in Comics

colmhogan.wordpress.com/

Music, Culture & Technology.

Cavalcade of Awesome

All Pax. All Nude. All the Time.

backtothemusic

time travelling through iTunes

%d blogueiros gostam disto: